Talk:Pt:How to map a

From OpenStreetMap Wiki
Jump to: navigation, search

Suggestion

The name to be used on Portuguese names (accented latin characters), if you wish to write un-accented characters use alternative name:en tag --Skippern 01:06, 7 September 2008 (UTC) Uso name para nomes Portuguese (com acente), quero uso nome sem acente uso chave alternative name:en --Skippern 01:06, 7 September 2008 (UTC)

Churrascaria

Notei que no tópico [Lojas e Restaurantes](http://wiki.openstreetmap.org/wiki/Pt-br:How_to_map_a#Lojas_e_Restaurantes), é dado como exemplo etiquetar uma Churrascaria como "cuisine=gaucho", porém o correto seria "cuisine=barbecue", como descrito em http://wiki.openstreetmap.org/wiki/Key:cuisine--Jgpacker (talk) 19:43, 7 February 2014 (UTC)

Na seção "Cuisine (ethnicity)" está listado o valor "gaucho", que é mais específico do que "barbecue", que tem variações por país. Ambos são possíveis, mas gaúcho diz mais sobre o tipo de "carne grelhada" que é servida nas churrascarias brasileiras. --Fernando Trebien (talk) 18:28, 3 February 2014 (UTC)
Ainda discordo. Na página está simplesmente *Churrascaria*(inclusive citando o nome em inglês *Barbecue restaurant*, que deveria ser `cuisine=barbecue`, e na seção *"Cuisine (ethnicity)"*, é recomendado `cuisine=gaucho` para comida gaúcha. Deveria então adicionar uma observação para colocar `cuisine=gaucho` quando apropriado. Outra opção seria citar outro exemplo menos controverso nesta página, e criar uma página para churrascaria.--Jgpacker (talk) 19:43, 7 February 2014 (UTC)
Churrasco é um tipo de barbecue e também é algo típico da culinária gaúcha. Ambos os valores são válidos, a questão é qual o mais específico. Que exemplo você daria para distinguir entre essas coisas? --Fernando Trebien (talk) 20:34, 7 February 2014 (UTC)
Eu concordo que no Brasil o churrasco gaúcho é o mais comum, mas nesta página é citado uma churrascaria genérica(inclusive falando que é barbecue restaurant em inglês), e uma churrascaria genérica é `cuisine=barbecue`. Acho que outro exemplo deveria ser colocado no lugar de churrascaria nesta página, para poder clarificar sobre a situação da churrascaria em outra página da wiki.
Acredito que um bom exemplo para colocar no lugar seria uma "Pastelaria", que ficaria como `amenity=fast_food` e `cuisine=empanada`. Só não sei como ficaria em inglês... --Jgpacker (talk) 00:25, 9 February 2014 (UTC)
Mas no Brasil existe alguma churrascaria (que se chame desta forma) que não seja de churrasco gaúcho? Só me vem à mente o Outback, e eles se chamam de "steakhouse" e não de "churrascaria". Quanto à pastelaria, acho que está correto.--Fernando Trebien (talk) 19:57, 9 February 2014 (UTC)
Dei uma pesquisada, e realmente, as "churrascarias argentinas" são chamadas parrillas. Então façamos o seguinte: mudamos o nome em inglês da Churrascaria para "Brazilian Steak House"(como é conhecido lá fora), e opcionalmente mudamos o nome em português para "Churrascaria brasileira" ou "Churrascaria Gaúcha". Ainda acho que deveriamos fazer uma página clarificando isto.
Agora uma pergunta: não existem restaurantes gaúchos que não são churrascarias?
Falando nisso, será que tem alguma forma de identificar se uma churrascaria (ou pizzaria) tem rodízio ou não? Até onde eu saiba, seria algo específico para o Brasil, então teriamos que discutir isto na lista.
PS: Notei agora, que a etiqueta `cuisine=steak_house`[[1]] é bem mais utilizada do que `cuisine=barbecue`[[2]], pena que não é documentada.. --Jgpacker (talk) 20:37, 9 February 2014 (UTC)
Sem dúvida esse é um bom assunto pra lista (aqui isso provavelmente iria longe) ou até pro fórum. A tag cuisine é uma das tags cujos valores são um "conjunto aberto" (você pode ir acrescentando valores ad infinitum). O problema é lidar com todos esses valores depois, as aplicações normalmente só tratam dos valores mais comuns. "Rodízio" em inglês se aproximaria do conceito de "all you can eat" (ou "eat all you can"), mas não achei tags pra identificar isso. Ah sim, claro que existem restaurantes gaúchos que não são churrascarias. Nenhum dos termos descreve precisamente o que é servido, a sugestão "gaucho" é apenas a que mais se aproxima atualmente. Posta lá na lista pra mais pessoas poderem discutir sobre a possibilidade de novos valores pra essa tag.--Fernando Trebien (talk) 20:58, 9 February 2014 (UTC)
Ok, postei lá na lista[[3]]. Por enquanto, vou modificar o nome em inglês para "Brazilian Steak House". Depois podemos alterar conforme o discutido. --Jgpacker (talk) 21:35, 9 February 2014 (UTC)

Relations

To clean up the map and make it more searchable, let us start use relations. I have added two relations as of this date, the routes ES-060 and BR-101 (only in ES and RJ states, with some holes), the same should be done for borders. --Skippern 01:01, 24 November 2008 (UTC)

Rodovias Federais

As said in Key:highway "the consensus is that the highway tag is for making a general description of the physical attributes of a highway", not the source of funding ("Federal"/"Estadual") or legal Classifications. As such I'm changing the classification criteria here to give more clues about physical attributes that can be used. --Claudomiro 21:25, 31 December 2008 (UTC)

There are many roads in south that must have been tagged before any discussions on tagging came along, I have seen some that clearly must be wrong (i.e., non-duplicated motorways). Will somebody make an effort of correcting such? --Skippern 20:29, 1 March 2009 (UTC)

Votação de novos critérios para highways

Conforme discussão na lista Talk-BR os critérios de classificação devem ser mudados para refletir melhor nossa realidade.

Ambiente Rural (Ligação entre cidades)


Acho essa classificação OK. --Lmpinto 21:06, 11 March 2009 (UTC)

Ambiente Urbano

  • highway=motorway
    • Grandes Troncos de Acesso duplicados e sem cruzamentos - Claudomiro 16:04, 11 March 2009 (UTC)
    • Na classificação do DETRAN, vias de trânsito rápido (neste caso provavelmente terão velocidade acima de 80 Km/ h)
  • highway=trunk
    • Avenidas com canteiro central - Claudomiro 16:04, 11 March 2009 (UTC)
    • Na classificação do DETRAN, vias de trânsito rápido (normalmente 80 Km/ h)
  • highway=primary
    • Avenidas de ligação entre bairros - Claudomiro 16:04, 11 March 2009 (UTC)
    • Na classificação do DETRAN, vias arteriais (normalmente 60 Km/ h)
  • highway=secondary
    • Avenidas e ruas locais ao bairro - Claudomiro 16:04, 11 March 2009 (UTC)
    • Na classificação do DETRAN, vias coletoras (normalmente 40 Km/ h)
  • highway=residential
    • Ruas residenciais --CatDevRandom 08:00, 28 October 2009 (UTC)
    • Na classificação do DETRAN, vias locais (normalmente 30 Km/ h)
  • highway=pedestrian
    • Ruas para pedestres, calçadões --CatDevRandom 08:00, 28 October 2009 (UTC)


Aqui eu mudaria o highway=trunk para "Avenidas de ligação entre bairros com canteiro central". --Lmpinto 21:09, 11 March 2009 (UTC)
Concordo com o comentário acima, pode alterar Claudomiro? --vgeorge 20:44, 13 March 2009 (UTC)
Adicionei a classificação do DETRAN, troquei o nome "avenidas locais ao bairro" por "avenidas e ruas", adicionei a sugestão de usar highway=pedestrian para o calçadão. Outra coisa, quando chegarmos a um consenso, vi que temos que lembrar de atualizar a página Key:highway --CatDevRandom 08:00, 28 October 2009 (UTC)

Como mapear

Como mapear lanchanetes, como restaurant, fast food ou cafe? Tambem nao tem certesa com pastelaria, sorveteria, differente de livraria (loja que vende livros) a papelaria. Nos precicamos alguns que poder almentar amenity=*, tourism=* e outros no guia de mapeamento. --Skippern 16:51, 27 October 2009 (UTC)

Propostas de classificação de vias

Há diversas formas de classificar vias, cada uma com suas vantagens e desvantagens. A classificação das vias ainda está em aperfeiçoamento, e os métodos propostos são aqui listados.

Proposta 1

Guia de mapeamento de rodovias.

Para uma melhor organização e padronização de estradas, uma tabela com as tags de Map Features está sendo criada para se adequar à classificação brasileira. Colabore!

Note que nossas estradas e rodovias não possuem uma classificação semelhante à utilizada mundialmente no OpenStreetMap, portanto as descrições abaixo são subjetivas, mas servem como ponto de partida para a classificação das vias terrestres. Sempre que a via possuir canteiro central, devem ser mapeadas duas vias, uma para cada sentido.

Área motorway trunk primary secondary tertiary unclassified residential living_street
Urbana Via expressa (velocidade >= 80km/h), pavimentada (asfalto ou concreto), duplicada (com divisão física entre as pistas em sentido contrário) ou de mão única, com duas ou mais pistas por sentido, SEM cruzamentos ou obstruções (semáforos, lombadas, etc), com acesso por entradas e saídas tangentes à rodovia. Sempre mapear as duas vias paralelas. Equivale a Freeway, Autobahn, etc. Rodovia de trânsito rápido (velocidade >= 80km/h), pavimentada (asfalto ou concreto), duplicada (com divisão física entre as postas em sentido contrário) ou de mão única, com duas ou mais pistas por sentido, com cruzamentos ou obstruções (semáforos, lombadas, etc) e acesso direto por ruas transversais, que podem cruzar diretamente o trânsito da rodovia. Sempre mapear as duas vias paralelas. Via arterial, de transito rápido (velocidade >= 60km/h), pavimentada (asfalto ou concreto), duplicada ou não, que liga vários bairros, formando a malha principal de circulação na cidade, ou a via principal de entrada e saída de cidades médias e pequenas. Pode ou não ter canteiro central (mapear as duas vias paralelas, se tiver). Via coletora, de velocidade média (>= 40 km/h), pavimentada (asfalto, concreto, blocos de pedra ou outra pavimentação firme), geralmente de pista simples, com preferência sobre vias terciárias, que forma a malha secundária de circulação entre bairros, ou a malha principal de circulação em cidades pequenas; pode ou não ter canteiro central (mapear as duas vias paralelas, se tiver). Via coletora, geralmente pavimentada e de pista simples, com preferência sobre vias residenciais e sem classificação, formando a malha de circulação dentro de bairros, ou a malha secundária de cidades pequenas. Via local, sem fluxo significativo de veículos, com largura suficiente para dois veículos (>= 6m), fora de áreas residenciais. Via local, sem fluxo significativo de veículos, com largura suficiente para dois veículos (>= 6m), em áreas residenciais. Vias em que a preferência de circulação é de pedestres. No Brasil, também inclui vias pavimentadas estreitas, com largura para apenas um veículo (< 6m) em áreas residenciais.
Rural Rodovia de transito rápido (velocidade >= 80km/h, ou 60km/h em regiões montanhosas), pavimentada (asfalto ou concreto), com acostamento largo o suficiente para estacionar um carro (2m ou mais) ou mais de uma pista por sentido. Rodovia pavimentada (asfalto, concreto, blocos de pedra ou outra pavimentação firme) que não preenche os requisitos de rodovia primária. Rodovia não pavimentada (terra, cascalho, areia, etc.) com largura suficiente para dois veículos (>= 6m), geralmente com solo compactado. Via não pavimentada (terra, cascalho, areia, etc.) com largura suficiente para dois carros (> 4m), porém com o trânsito de veículos geralmente ocorrendo no meio da via, geralmente com solo não compactado. N/A N/A

Veja Placas de sinalização no Brasil

Use Relações para rodovias maior.

Além da chave ref=* para indicar o número da rodovia (como "BR-101"), não se esqueça da chave name=* (continuando o exemplo, "Rodovia Governador Mário Covas")

cep=* addr:postcode=* por os ruas com codigos postal.

Proposta 2

Embora a descrição acima se baseie amplamente na terminologia legal brasileira de trânsito, segue uma sugestão de classificação com menos margem para ambiguidades.

A ordem na lista expressa a ordem de preferência de tráfego, ou seja, a via que geralmente é a preferencial (sem placas Pare), a que recebe mais volume de tráfego, ou mais tempo no sinal verde dos semáforos precede as demais. O número de pistas refere-se às pistas trafegáveis, ou seja, sem incluir as pistas com estacionamento permitido. O termo "pavimentada" refere-se a vias asfaltadas ou de concreto e não se refere a vias de terra ou paralelepípedos.

Na dúvida, use como critério de desempate o primeiro fato validável encontrado na tabela na ordem de leitura (da esquerda para a direita, de cima para baixo, linha por linha). Por exemplo, uma rodovia estadual com apenas 1 pista deve ser classificada como secundária. O mesmo vale quando não há classificação oficial publicada, por exemplo, na distinção das vias urbanas entre coletoras (de ambos os tipos) e locais. Lembre que uma classificação oficial pode ser indicada com o rótulo source.

Perfil Equivalente rural Equivalente urbana Pavimentada Km/h Pistas Tipicamente
motorway Autoestrada (muito rara) Sim Mais de 80 2 (varia)
trunk Rodovia nacional Via expressa Sim Até 80 2 (varia)
primary Rodovia estadual Via arterial Sim Até 60 2 Avenida
secondary Estrada "intermunicipal" Via coletora primária Sim Até 60 1 (varia)
tertiary (não ocorre) Via coletora secundária (varia) (varia) 1 (varia)
unclassified Estrada "local" Via local não-residencial Às vezes (varia) 1 Rua
residential (muito rara) Via local residencial Às vezes (varia) 1 Rua
living_street (não ocorre) Via residencial? Às vezes Até 40 1 Beco
pedestrian (não ocorre) Calçadão (não se aplica) (não se aplica) (sem) (varia)

Note a semelhança entre unclassified e residential. Normalmente, ambos são desenhados da mesma forma e tratados da mesma forma no cálculo de rotas. A principal diferença é a concentração de residências. Por exemplo, ruas predominantemente com estabelecimentos industriais se encaixam na descrição de unclassified. Também estradas rurais, que normalmente passam por fazendas, parecem se encaixar mais nessa descrição do que na de residential. Já ruas com estabelecimentos comerciais locais normalmente possuem residências intercaladas ou combinadas com esses estabelecimentos, logo parecem se encaixar melhor no perfil residential.

Note também que a característica principal de living_street é de que os pedestres têm a preferência sobre os veículos ao utilizarem a via em qualquer ponto. À risca, deve ser usada quando houver sinalização indicativa da preferência dos pedestres, mas como isso é muito raro no Brasil, pode-se usar essa classificação em alguns outros casos similares, tais como:

  • vias no interior de grandes condomínios residenciais com acesso público (sem controle de acesso na entrada, sem grades)
  • vias no interior ou à margem de vilas e favelas (onde com frequência há pedestres caminhando ou crianças brincando na rua)
  • ruas onde há muitos pedestres com o hábito de usar a rua sem dar preferência aos veículos (como no centro de algumas cidades)

Devido à baixa velocidade, também pode ser usado em vias públicas e estreitas onde só 1 carro possa passar por vez e, com frequência, há carros parados dificultando a travessia. Normalmente essas vias estão em regiões que deixaram de ser vilas/favelas.

No entanto, não corresponde bem ao perfil de vias que conduzem a estabelecimentos comerciais (onde deve-se usar a classificação service), nem ao de áreas escolares, onde o pedestre ainda é obrigado a atravessar na faixa apesar do baixo limite de velocidade.

Para casos ambiguos ou mais específicos, pode ser útil também consultar as restrições de acesso típicas de cada tipo de via.

Proposta 3

Trabalho em andamento. Envie propostas de alterações para a lista de mensagens da comunidade brasileira.

A regra a seguir tem o objetivo de simplificar as decisões de classificação e de minimizar as ambiguidades e o número de casos excepcionais. Há exceções não previstas e a regra não é absoluta, portanto use o bom senso. No caso de dúvidas, veja a seção de justificativas, as restrições de acesso típicas de cada via, e a equivalência internacional dos tipos de vias.

Quando tiver uma boa razão para classificar de forma diferente, por favor tome o cuidado de anotá-la na via usando o marcador note. Isso promove o consenso na comunidade, otimiza o tempo (evitando discussões desnecessárias) e evita alterações arbitrárias por colaboradores desavisados (às vezes menos experientes).

Considere:

  • A ordem hierárquica das vias a partir da mais prioritária: motorway; trunk; primary; secondary; tertiary; unclassified e residential igualmente; living street; pedestrian; footway e cycleway igualmente; track; path
    • Em cruzamentos, indicadores da prioridade incluem placas Pare na via menos prioritária e o tempo dos semáforos para cada via
  • As superfícies consideradas pavimentadas:
    • Para o trânsito de veículos, somente asfalto e concreto
    • Para o trânsito de pedestres, quaisquer superfícies rígidas, estáveis e planas o bastante para cadeiras de rodas
  • Para a via considerada para classificação, a palavra cruzamento é usada a seguir em referência a interseções com vias que a atravessam de um lado a outro e não para as que apenas começam ou terminam nela (como em junções em T)

As regras a seguir estão listadas em ordem de precedência, ou seja, a classificação é dada pela primeira regra que pode ser verificada por medição ou outra fonte confiável. O marcador highway será:

  1. steps em trechos com degraus
  2. cycleway se tiver sinalização de ciclovia e não acompanhar diretamente a lateral de outras vias — deve incluir o marcador foot=yes quando não for expressamente proibida para pedestres
  3. pedestrian se for ampla o suficiente para veículos mas proibida para eles na maior parte do tempo
  4. footway se for estreita demais para veículos, for pavimentada e for relativamente livre de obstáculos ao passar à pé (similar a uma calçada)
  5. path se for estreita demais para veículos
  6. living street se apresentar diariamente um número significativo de pessoas interferindo com o trânsito por longos períodos (incluindo crianças brincando na rua)
  7. living street se for estreita demais para que um veículo ultrapasse outro
  8. service se for via particular — deve incluir o marcador access
  9. service se for via de acesso a ou no interior de um estacionamento público
  10. motorway se a velocidade máxima for acima de 80 km/h, possuir acostamento e no mínimo 2 pistas em cada sentido
  11. trunk se for rodovia nacional (máxima de 80 km/h) ou via expressa urbana (máxima de 80 km/h)
  12. trunk se a velocidade máxima for acima de 80 km/h
  13. primary se for rodovia estadual (máxima de 80 km/h) ou via arterial urbana (máxima de 60 km/h)
  14. secondary se for rodovia intermunicipal (máxima de 80 km/h) ou preferencial sobre outras vias menos prioritárias que a cruzam
  15. tertiary se ocorrer em área não urbana sem residências próximas (exceto fazendas) e tiver sinalização de pista
  16. tertiary se for preferencial sobre outras vias menos prioritárias que a cruzam
  17. tertiary se for longa (400 metros ou mais), sem interrupção (sem placas Pare e sem semáforos) e transitável em velocidade razoável (cerca de 40 km/h ou mais)
  18. track se não for pavimentada e não for administrada pelo governo municipal, estadual ou federal
  19. unclassified se ocorrer em área não urbana sem residências próximas (exceto fazendas) sem sinalização de pista
  20. unclassified se ocorrer em área urbana não residencial (área desabitada, industrial ou exclusivamente comercial)
  21. residential nos demais casos

Numa cidade em que nenhuma via esteja classificada, você pode, por exemplo, começar assumindo que todas as ruas são do tipo residential e ir promovendo-as a tertiary e secondary à medida que descobrir quais são preferenciais sobre quais. Geralmente as vias primary ou superiores constam em alguma publicação oficial.

As regras que se baseiam na velocidade máxima devem permitir que trechos curtos com velocidade inferior à citada na regra recebam a mesma classificação do restante da via.

Vias que possuem ciclofaixas ou ciclovias acompanhando a lateral da via principal devem acrescentar ao resultado da classificação anterior o marcador cycleway. Se for uma ciclofaixa (sem separação física além da sinalização), o valor do marcador deve ser lane. Se houver separação física (por exemplo, com desnível, tachões ou qualquer tipo de barreira física), deve ser track.

Rodovia intermunicipais (nem sempre descritas dessa forma) necessariamente são administradas por uma ou mais prefeituras e ligam duas ou mais cidades.

Emprego

  • living street
    • Vias no interior ou adjacentes a favelas, quando forem estreitas e apresentarem vários pedestres no caminho regularmente

Justificativas

A ordem das regras (a precedência de uma sobre outra) procura refletir as fortes restrições nas possibilidades de trânsito de veículos e de pessoas.

À risca, living street deveria ser empregada apenas em vias com sinalização indicativa de que a via é de uso preferencial de pedestres. Como isso não ocorre no Brasil, os casos citados parecem úteis para planejamento de rotas, pois considerando a velocidade reduzida também evita-se caminhos inseguros ou de travessia difícil.

A regra para service deriva da definição de que deve ser usada para acesso a residências, estacionamentos, estabelecimentos comerciais e a entradas de serviço. Geralmente não fazem parte da malha de vias públicas e podem ser fechadas pelos proprietários do local a qualquer hora. Algumas são fechadas regularmente, por exemplo à noite.

A regra para tertiary permite que algumas vias residenciais sejam classificadas assim se for possível passar por elas sem parar por trechos longos. Isso corresponde à expectativa de que essas vias apresentam uma velocidade média maior. Em área urbana, essas vias normalmente têm a mesma importância e o mesmo fluxo que outras vias terciárias cruzadas por vias residenciais. O mesmo pode ocorrer em áreas não urbanas se a via for mantida em bom estado e usada com regularidade.

Proposta 4

Trabalho em andamento. Envie propostas de alterações para a lista de mensagens da comunidade brasileira.

Este método se baseia na idéia de que a estrutura da via reflete a sua importância. Entende-se que a importância determina o quão atraente é a via e, portanto, quanto tráfego é esperado, e que o volume de tráfego determina a sua estrutura conforme as Normas para o Projeto das Estradas de Rodagem do DNIT.

Área não-urbana

Classifique a via usando a maior classificação que tem todos os seus requisitos atendidos:

Classificação Correspondência com o BIT Faixas por sentido Acostamento Pavimentada Terra compactada Outros requisitos
motorway Duplicada de alta velocidade ≥ 2 Sim Sim
  • Canteiro central
  • Sem obstruções (semáforos ou cruzamentos)
  • Limite de velocidade > 80 km/h
trunk Pavimentada de múltiplas faixas ≥ 2 Sim
primary Pavimentada simples com acostamento 1 Sim Sim
secondary Pavimentada simples sem acostamento 1 Não Sim
tertiary Implantada 1 Não Sim
unclassified Leito natural 1 Não Não
track Só 1 veículo por vez

Principal fonte de informação: Banco de Informações e Mapas de Transportes (BIT) do Ministério dos Transportes

Definições aplicáveis provenientes das terminologias rodoviárias do DNIT:

  • Duplicada: duas pistas com duas ou mais faixas para cada sentido, separadas por canteiro central, por separador rígido ou com traçados separados contornando obstáculos
  • Pavimentada: com revestimento superior, com pavimento asfáltico, de concreto, cimento ou de alvenaria poliédrica
  • Implantada: construída de acordo com as normas rodoviárias de projeto geométrico que se enquadram em determinada classe estabelecida pelo DNIT, com superfície de rolamento sem pavimentação, em revestimento primário, permitem tráfego o ano todo
  • Leito natural: construída em primeira abertura no próprio terreno natural, podendo eventualmente receber revestimento primário, sem atendimento às normas de projeto geométrico, não se enquadrando em nenhuma das classes estabelecidas pelo DNIT
  • Planejada: fisicamente inexistente, que consta de um planejamento, com pontos de passagem previstos mas não obrigatórios até a realização de estudos e/ou que projetos estabeleçam o traçado definitivo da rodovia

Área urbana

Classificação Condições
motorway Iguais às do mesmo tipo em área não-urbana
trunk Velocidade máxima de 80 km/h
primary Oficialmente denominada arterial
secondary Preferencial sobre terciárias
tertiary Preferencial sobre residenciais

Proposta 5

A tabela abaixo apresenta um balanço entre aspectos físicos e administrativos, uniformizando a classificação na zona rural, mas deixando margem para ajustes por outros critérios em zonas urbanas. Ela tem-se mostrado adequada para a classificação de rodovias nos projetos de Rodovias Federais e Rodovias Estaduais.

Classificação de vias
Zona Tipo Situação da via
PLA (planejada) LEN
(leito natural)
IMP
(implantada)
EOP
(em obras de pavimentação)
PAV
(pavimentada)
EOD
(em obras de duplicação)
DUP (duplicada)
Rodovia coincidente existe Perspectiva real de implantação no curto prazo Sem perspectiva de implantação Com cruzamento em nível Sem cruzamento em nível
Rural Federal (BR) (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=primary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified tertiary tertiary primary primary trunk motorway
Estadual coincidente com federal (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=primary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified tertiary tertiary primary primary trunk motorway
Estadual radial, longitudinal, transversal ou diagonal (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=primary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified tertiary tertiary primary primary trunk motorway
Estadual de ligação (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=secondary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified tertiary tertiary secondary secondary trunk motorway
Estadual vicinal (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=tertiary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified unclassified unclassified secondary secondary trunk motorway
Municipal - proposed (proposed=unclassified) não mapear unclassified unclassified unclassified secondary secondary trunk motorway
Urbana Federal (BR) (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=primary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified tertiary tertiary primary primary trunk motorway
Estadual coincidente com federal (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=primary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified tertiary tertiary primary primary trunk motorway
Estadual radial, longitudinal, transversal ou diagonal (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=primary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified tertiary tertiary primary ou secondary primary ou secondary trunk motorway
Estadual de ligação (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=secondary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified tertiary tertiary primary ou secondary primary ou secondary trunk motorway
Estadual vicinal (usar classificação da rodovia coincidente) proposed (proposed=tertiary) dummy (traçar um trajeto aproximado) unclassified tertiary ou unclassified tertiary ou unclassified primary ou secondary primary ou secondary trunk motorway
Municipal (classificar conforme o Plano Diretor ou outro critério) - proposed (proposed=unclassified) não mapear (no máximo unclassified) (no máximo tertiary) (no máximo tertiary) (no máximo primary) (no máximo primary) (no máximo trunk) motorway

Proposta 6 (consenso global + adaptação local)

Ver Consenso mundial (rascunho em inglẽs) e Classificação em Porto Alegre

Vale a primeira classe que satisfizer o critério (e nenhum deles diz respeito a características físicas da via):

Motorway: construída para acesso controlado (sem paradas, nem para entrar/sair da via)

Trunk: BRs; dentro de cidades, principais conexões entre as entradas das BRs (vários países adotam um critério similar, ver o consenso mundial)

Primary: principais rotas entre place=city; dentro de cidades, principais conexões entre as entradas dessas rotas

Secondary: principais rotas de/para place=town, vias urbanas com velocidade de 60+ km/h (arteriais segundo o CTB)

Tertiary: principais rotas de/para place=village, principais vias urbanas preferenciais (cuidado com a densidade) com velocidade de 40km/h (às vezes 30km/h) que se ramificam das arteriais; a ramificação deve ser o principal caminho para vários pontos dentro do "bairro" (área delimitada por secundárias/primárias/etc.); têm mais tráfego que outras residenciais próximas que talvez tenham o mesmo limite de velocidade

Unclassified: demais vias em áreas não-residenciais (inclusive áreas de fazendas)

Residential: demais vias em áreas residenciais