Pt:Key:addr/Convenções Brasil

From OpenStreetMap Wiki
Jump to: navigation, search
Página em construção.

Convenções e recomendações adotadas no OSM-BR, para conceituar endereço e estabelecer o uso apropriado da tag addr.

Conceitos

...

Endereços de um lote

Lotes são representados como polígonos, e sempre que fazem fronteira com mais de uma via, haverá a possibilidade de haver mais de um "portão de acesso ao lote". Mesmo em espaço urbano, grandes lotes como o Parque Ibirapuera, um shopping center ou uma universidade, possuem mais de uma forma de acesso: portões de entrada, endereço de correspondência, endereço para entregas, estacionamento, etc.

Numeração predial

No Brasil a maior parte das cidades adota as convenções do inicio, métrica e paridade:

  • inicio da via: uma das extremidades da via é convencionada como seu inicio (em geral lado mais próximo do centro da cidade).
  • métrica: medida em metros percorrida ao longo do eixo central da via, a partir da extremidade adotada como inicio.
  • paridade: a numeração dos lotes de um dos lados sempre será arredondada para um número par, e do outro para um número ímpar.

Quanto ao ponto de referência para atribuição da numeração predial (número oficial) pode variar a cada cidade, adotando uma dentro das seguintes convenções, para ponto sobre o qual será medida a distância em metros do inicio da via:

  • lado direito do lote
  • lado esquerdo do lote
  • centro do lote
  • posição do portão (em grandes lotes)

Como no Brasil a numeração oficial e definitiva dos imóveis depende dos processos para aprovação e legalização dos projetos construtivos, do IPTU, etc. muitos lotes, casas e edifícios ficam por anos sem uma numeração oficial. Mas não deixam de ter seu número: é dita numeração praticada, que consta da mesma forma na plaqueta de numeração do imóvel.

Apenas a numeração oficial tem garantia de consistência com a métrica da via: não é raro que a numeração praticada seja inconsistente, causando dúvidas e problemas no mapeamento.

NOTA: o termo "numeração predial" também se aplica aos casos onde a numeração é composta por números e letras ou dois números. Vide caso da numeração predial de Bauru ("quadra e casa").

Ponto de endereçamento

Num mapa a numeração predial de um lote pode ser representada em uma posição padronizada (ex. esquema Karlsruhe) ou fazer uso de um ponto para melhor aproximar da posição real ou servir de suporte para a renderização do mapa.

Pontos de endereçamento, em geral, são pontos entre a via e o lote, ou mesmo dentro do lote, que corresponderiam à posição da portão de entrada do lote.

Complemento

O endereço de alguns objetos requer complemento do endereço. Exemplos:

  • casa dentro de um condomínio horizontal;
  • apartamento dentro de um edifício;
  • edifício dentro de conjunto (ex. Faculdade de Letras da USP dentro da Cidade Universitária);
  • equipamento social dentro de um parque (ex. ambulatório do Zoológico).

Em todos esses exemplos existe um endereço principal: permitindo a localização do portão do condomínio, do portão do edifício, do portão do conjunto e do portão do parque, respectivamente. O complemento é um segundo endereço que permite a localização "depois do portão" e em um sistema de endereçamento que pode não estar mais sob a jurisdição do município — quem determina nomes de rua e regras de numeração predial pode ser por exemplo o condomínio.

Convenções adotadas

...

Sintaxe do complemento

O complemento foi representado como ponto azul claro no interior do lote. O "acesso ao lote pela via principal" foi representada como um ponto verde sobre a via (linha azul no plano XY). Quando complemento vazio, o ponto azul claro coincide com o ponto escuro. Caso contrário, poderão existir três "indexadores espaciais" para complemento: subvia e número s+n (horizontal), parcela-P (horizontal) e andar-A (vertical).

Para garantir complementos não-repetidos, a sintaxe do complemento precisa ser padronizada. Não apenas "tudo em minúsculas" ou padronização no uso de hífen, vírgula, etc. Complementos por vezes possuem mais de uma parte, então carcterizar e ordenar as partes também é necessário para se pradonizar.

Cenário de exemplo: uma via principal conhecida na cidade como "rua Mariana", sobre qual existem os lotes de números prediais 220, 230, 250, 280, 290 e 800. Um desses lotes (o 220) é um sobrado com fundos e sobreloja, outro (230) é uma agência de correios, outros três são condomínios verticais (250, 280 e 290), e outro (800) condomínio horizontal.

Endereço

Complemento

Facetas do complemento físico

livre horizontal (XY) vertical (Z)
rua Mariana 220, fundos fundos Fundos . .
rua Mariana 220 - . . .
rua Mariana 230, cxp. 55 cxp. 55 . . .
rua Mariana 220, sobreloja 4 sobreloja 4 Sobreloja 4 . .
rua Mariana 250, bloco 2, ap. 50 bloco 2, ap. 50 . Bloco 2 Apto. 50
rua Mariana 280, ap. 110, 10º andar ap. 110, 10º andar . . Apto. 110, 10º andar
rua Mariana 290, bloco 2, sala-B bloco 2, sala-B Sala B Bloco 2 5º andar
rua Mariana 800, al. das flores 91, ap. 20 al. das flores 91, ap. 20 . Alameda das Flores, 91 Apto. 20

Percebe-se dos exemplos que a grafia de complementos está sujeita às mais diversas variações. Com o esquema de caracterização das facetas é possível normalizar a sintaxe do complemento.