Imóveis devolutos em Portugal

From OpenStreetMap Wiki
Jump to: navigation, search

ATENÇÃO: Esta página encontra-se em construção.

Sumário

Para efeitos de mapeamento considera-se devoluto o edifício, ou fração independente, que apresente sinais evidentes de abandono, avançado estado de degradação e que já não desempenhe a função para a qual foi projectado (neste caso habitação). Com efeito, consideram-se dois tipos de imoveis devolutos:

  • os devolutos propriamente ditos
  • e osparcialmente devolutos

Devoluto = abandonado + degradado + sem plano de recuperação (ausência de licença camarária colocada na fachada do edifício)

Parcialmente devoluto = desocupado (temporariamente ou por motivo de obras) + degradado + com plano de recuperação (presença da licença camarária)


Como mapear

  • Identificado um imóvel devoluto adiciona-se a tag abandoned=yes ao objecto.
    Um edifício classificado como building=abandoned é um imóvel que foi abandonado pelo seu proprietário e não é mais mantido. A sua recuperação imediata não se encontra planeada e o seu estado de degradação é evidente. Todavia, edifícios devolutos podem ainda ser utéis para a navegação/orientação e são sempre visíveis na paisagem. Edifícios devolutos, bastante degradados, frequentemente sucumbem ao tempo e aos elementos acabando por colapsar.

"Abandoned", neste caso, corresponde a um edifício que não pode ser colocado de volta no seu estado original, sem reparação avultada ou alteração estrutural profunda. Se a recuperação do estado original do edifício puder ser executada sem grandes custos de reparação, considere o uso disused=yes.

"Disused" significa que o edifício voltará a ser novamente utilizado para sua finalidade original, ou semelhante, sem necessidade de reparações muito profundas ou de alteração estrutural. Para níveis mais graves de abandono, considere utilizar abandoned=* em vez de disused=*.

Adicionando estas tags implica muitas coisas sobre o nível geral de atividade humana presente e em torno do objeto, mas por si só não são suficientes para descrever o status do objeto de forma consistente. Para tornar as tags internamente consistentes:

  • Devem tornar todas as tags que deixaram de ter significado, como resultado do abandoned=yes ou disused=yes, indisponíveis para o software, que não reconhece estas tags. Isto deve ser feito prefixando as chaves antigas com o namespace abandoned: ou disused: - veja os exemplos abaixo.


Usar em combinação

Exemplo

Imagem Tagging Descrição
Abandoned building.jpg abandoned=yes
building=yes
Edifício devoluto. Se o tipo de edifício ou a sua função for conhecida, substitua o valor da Key:building apropriada por "yes".
Disused building.jpg disused=yes
building=yes
Edifício parcialmente devoluto.

Desabilitando tags sem significado

Estas tags têm uma história longa e confusa, mas estão em uso na base de dados. Na prática, não se pode esperar que programas que utilizam dados do OSM, tais como renderers ou motores de pesquisa de direções (routing), consigam distinguir entre um edifício classificado como building=yes de outro edifício classificado como building=yes + disused=yes sem regras especiais. Portanto, é necessário ajustar o esquema de classificação destes objectos para que tais programas os interpretem correctamente.

No espírito da proposta original, e porque a chave foi discutida e votada, faz mais sentido prefixar as propriedades devolutas com um namespace abandoned=* ou disused=*. Isso para além de resolver o problema de dados potencialmente confusos, permite repor o valor das chaves originais sem grande esforço.

Old tagging Alteração New tagging
building=yes
Fica parcialmente devoluto
Actualizar o mapa
disused=yes
building=yes
building=<type>
Fica devoluto
Actualizar o mapa
abandoned=yes
building=yes
abandoned:building=<type>
building:use=*
Fica parcialmente devoluto
Actualizar o mapa
disused=yes
building=yes
disused:building=<type>
amenity=<type>
capacity=*
disused=yes

NOTE: this form makes the object's tagging inconsistent, and is STRONGLY discouraged. If you see instances of this, please fix them.


Old-form "disused" tagging
Resurvey and fix the tags
disused=yes
disused:amenity=<type>
disused:*=*

Much better! Software won't accidentally render it now, or direct drivers to boarded-up parking lots. The fact of disuse is captured concisely too.

Usando o prefixo tem também a vantagem de ser mais fácil reverter para uma data posterior se o objecto voltar à sua condição original.

Orientação e ciclo de vida

  • Guidance
  • Este esquema de classificação serve para qualquer tipo de objectos espaciais desprovidos de qualquer utilização funcional para além da sua forma física.
  • Se, por exemplo, o nome do edifício é ainda relevante para as pessoas ou está inscrito na fachada do prédio, então deve ser mantido (ou talvez movido para a old_name=*.
  • Regra geral, devem-se reter as tags que ainda são relevantes, e mover-se aquelas que já não o são.
  • Como exemplo: se o objeto é um edifício que se encontra parcialmente devoluto, mas ainda é estruturalmente sólido,não se deve prefixar a sua tag building=* com o namespace disused:. Pois bastam apenas paredes e um telhado para que este seja considerado um edifício, de tal modo que a sua tag building= é ainda relevante.
  • Na eventualidade de um edifício devoluto ser recuperado não esquecer de limpar as tags com prefixo disused:*=* e as tags disused=*.

Aplica-se a

building=*.

Ver também