Pt:Highway Tag Africa

From OpenStreetMap Wiki
Jump to navigation Jump to search

Tipologia da rede rodoviária nos países africanos

Esta classificação de estradas em África é o resultado de experiências de campo e de activações remotas da comunidade da Equipa Humanitária OSM (HOT), pretende-se que seja mais adaptada ao contexto dos países africanos. Se desejarem contribuir para esta página, estão convidados a juntar-se à lista HOT.

Objectivo

O aspecto e a praticabilidade das estradas nos países africanos nem sempre são representativos do seu papel económico e social. Uma tipologia rodoviária deve basear-se na importância das estradas, não no estado da sua superfície ou do seu aspecto visual. Em algumas zonas, as estradas principais não são pavimentadas e estão muito danificadas pela estação das chuvas. É importante que os mapeadores distantes se adaptem a esta realidade. Em algumas regiões, tais como o Sahel, é também importante considerar a densidade da rede rodoviária.

A tipologia proposta para os países africanos baseia-se na experiência cartográfica em vários destes países, bem como em numerosas conversas e discussões. Em algumas áreas, existe uma rede rodoviária muito densa com muitas vias que vão em todas as direcções. Num tal contexto, é importante ter uma hierarquia de estradas que destaque as mais importantes para as actividades económicas. A etiqueta highway=tertiary é utilizada para caracterizar estradas que ligam localidades que oferecem serviços à escala regional. A etiqueta highway=unclassified é utilizada para distinguir entre estradas rurais que ligam aldeias e vários trilhos que deixam essas aldeias. Em caso de dúvida sobre a escolha da etiqueta, utilizar a etiqueta highway=road. Muitos caminhos são formados pela recorrência de atropelamentos animais e humanos.

Ao adicionar uma estrada à base de dados do OSM, os cartógrafos individuais sugerem uma classificação para essa estrada. Uma vez concluída a rede rodoviária, temos uma visão geral que nos permite rever este esquema. É então importante que os cartógrafos experientes revejam a rede rodoviária e assegurem que a hierarquia das estradas principais seja claramente estabelecida.

Esta abordagem está aberta a sugestões, por favor partilhe a sua experiência/práticas de outros países. Para comunicar, utilizar a lista de discussão HOT.

Etiquetas propostas

A etiqueta highway=* reflecte a dimensão económica e social da estrada. A etiqueta surface=* permite especificar o tipo de superfície da estrada.
Finalmente, a etiqueta smoothness=* pode ser utilizada para avaliar a sua passabilidade e, portanto, a sua acessibilidade a diferentes tipos de veículos.

Dimensão económica e social da estrada: highway=*

A etiqueta highway=* reflecte a dimensão económica e social da estrada.

Chave Valor Elemento Commentário Renderização Foto
Estradas
highway motorway way Principais estradas do país com acesso restrito. Estas estradas têm normalmente pelo menos duas faixas separadas por uma reserva central e são forradas com berma dura. Estas são frequentemente referidas como estradas com cobrança de portagens.
Rendering-highway motorway neutral.png
Motorway-photo.jpg
highway primary way As principais estradas que ligam as principais cidades. Rendering-highway primary neutral.png
highway secondary way Estradas para as capitais regionais e cidades maiores (com centros de saúde, lojas, etc.). Rendering-highway secondary neutral.png South of Kalangba en route to Outamba-Kilimi Park.JPG
highway tertiary way As estradas que ligam as aldeias e as principais ruas de cidades de certa importância. Rendering-highway tertiary neutral.png
highway residential way Ruas e faixas em áreas residenciais, excepto as mais importantes que ligam estradas primárias, secundárias ou terciárias. Rendering-highway residential.png
highway unclassified way As estradas que ligam as aldeias e povoações mais pequenas. Rendering-highway unclassified.png
highway track way Estradas mais pequenas que saem de zonas residenciais, geralmente "'utilizadas para fins agrícolas ou florestais'". Na maioria das vezes, estas estradas não são utilizadas para se ligarem a outras vias de tráfego. Highway track.png
Caminhos
highway path way Os caminhos não são suficientemente largos para automóveis e são utilizados principalmente para peões, tanto dentro como fora das zonas residenciais. Path osm.png

Estado das estradas: superfície e usabilidade

Além da dimensão social e económica da estrada, descrita pela etiqueta highway=*, é possível especificar o estado físico da estrada utilizando a etiqueta surface=* e a sua "praticabilidade" utilizando a etiqueta smoothness=*:

Revestimento: surface=*

Em geral, deve ser utilizado:
-surface=paved para uma superfície com revestimento (asfalto, pedras de pavimentação, concreto, etc.)
-surface=unpaved caso contrário (terra, areia, etc.)

Para mais detalhes, pode-se usar: surface=asphalt, surface=cobblestone (pedras de pavimentação) ou surface=concrete (concreto) para superfícies "duras", surface=ground (terra), surface=sand (areia) ou surface=gravel (cascalho), caso contrário.

Por defeito, estradas caracterizadas como primary, secondary, tertiary, unclassified, residential e service são consideradas surface=paved (pavimentadas). Se não for este o caso, deve ser especificado, especialmente se a estrada for macia (por exemplo, uma estrada residencial arenosa, lamacenta, etc.).

Se uma estrada pavimentada estiver muito danificada, com, por exemplo, mais de 50% da superfície coberta por buracos, então a estrada é considerada como não pavimentada e surface=unpaved deve ser indicada.

Em contraste, as estradas caracterizadas por highway=track são assumidas como surface=unpaved (não pavimentadas) por defeito.

Usabilidade física: smoothness=*

Esta etiqueta é utilizada para avaliar a “praticabilidade” da estrada. Ajudará a determinar a acessibilidade da estrada a diferentes veículos (bicicleta, motocicleta, carro, 4x4, camião, etc.).

Valor Descrição
excellent É possível o uso de rollerblade
good Pode ser percorrida numa bicicleta de corrida
intermediate Pode ser percorrida numa bicicleta de cidade, num carro de corridas, numa scooter...
bad Pode ser percorrida numa bicicleta de montanha ou num carro clássico. Mas ainda existem alguns buracos.
very_bad É possível conduzir um carro com muito boa suspensão, tal como um Peugoet 404 com uma lona. Os carros clássicos não podem passar.
horrible Só se pode fazer em 4x4.
very_horrible Não praticável para 4x4s ou apenas com grande dificuldade, utilizando um guincho. Pode ser conduzido por tractor ou motocicleta, por exemplo.
impassable Incapaz de conduzir. Este pode ser o caso de estradas muito danificadas.

Sugestão: só utilizar a etiqueta smoothness=* se a usabilidade física da estrada for "bad" ou pior.

Rotas sazonais

As estradas sazonais são indicadas utilizando a etiqueta seasonal. Inversamente, se a estrada for transitável durante todo o ano sem ser afectada pelas estações, seasonal=no pode ser utilizada..

Para indicar aproximadamente o período do ano em que a estrada está fechada, utilizar uma condição restritiva. access:conditional=no @ Dec-Apr : indica que esta estrada está normalmente fechada de Dezembro a Abril (ou aberta de Maio a Novembro).

Num caso que é mais difícil de caracterizar, por exemplo, uma estrada que é transitável por 4x4 durante a estação seca mas apenas por tractor durante a estação chuvosa, o conjunto de etiquetas seguinte é apropriado:

Travessia de curso de água

Quando uma estrada atravessa um curso de água, seja por uma ponte, uma laje radier ou um vau, a parte da estrada em questão deve ter uma etiqueta em conformidade. Se a parte da estrada a ser caracterizada for demasiado pequena, é possível utilizar a etiqueta apenas sobre um nó (ponto) localizado na estrada.

Para pontes:

É possível caracterizar a superfície da ponte utilizando a etiqueta surface=*, especialmente se for diferente da estrada principal. Por exemplo: surface=metal, surface=concrete para concreto ou surface=wood para madeira.

Algumas pontes são feitas de tábuas orientadas paralelamente à direcção do veículo, de modo a que haja apenas duas faixas estreitas nas quais as rodas do veículo repousam. Isto é problemático para os condutores de duas rodas que não conseguem atravessar tais pontes facilmente. O conjunto de etiquetas seguinte pode ser utilizado:

Se os veículos de duas rodas podem atravessar o rio perto da ponte, por exemplo, utilizando um vau, acrescente esta rota alternativa.

Finalmente, para alguns conveses, deve trazer as suas próprias tábuas. Pode indicar surface=no.

Para travessias de um vau e/ou de uma laje radier, ford=yes é utilizada. depth=* é utilizada para indicar a altura habitual (estação seca, não em inundação ou ciclone) da água. depth=0 é utilizada para passagens que são normalmente secas mas que podem ser atravessadas com água. Pelo contrário, qualquer passagem seca que se torne perigosa na presença de água será codificada flood_prone=yes. A etiqueta surface=* indicará se a passagem está equipada. Tipicamente surface=concrete para uma laje radier de concreto.

Para pontes submersíveis, ou seja, onde a água pode passar sobre a ponte durante as cheias, além de bridge=yes, ford=yes e depth=0 são utilizadas, como para os vaus, se a ponte for utilizável com água (dentro de limites razoáveis), caso contrário, flood_prone=yes se a passagem se tornar perigosa. Estas estruturas são geralmente feitas de concreto: surface=concrete.

Se a travessia do rio for por barco, então use route=ferry.

Caminhos múltiplos

Em algumas áreas não existem caminhos formais, mas um conjunto de caminhos não pavimentados muito próximos uns dos outros (dentro de uma largura de cerca de 100 metros) que conduzem todos ao mesmo destino, como nesse exemplo. Até agora, a prática tem sido criar uma faixa no centro destes caminhos, como discutido aqui.

Alguns exemplos

Exemplo de uma estrada secundária na Serra Leoa