Portugal/Padronização

From OpenStreetMap Wiki
Jump to navigation Jump to search

Nesta página, poderá encontrar um sumário das convenções referentes a todo o tipo de etiquetas usadas em Portugal.

Sempre que exista alguma etiqueta que não tenha o seu uso estabelecido, aconselha-se que siga a lista de elementos do mapa, que segue uma convenção concordada como um todo pela comunidade OpenStreetMap.

Rotas

Estradas

Esta secção descreve as vias por ordem decrescente de importância hierárquica.


Hierarquia Visualização Etiqueta Símbolo Descrição Exemplo
não aplicável não aplicável não aplicável
Tabliczka E...svg

Estradas Europeias
As Estradas Europeias não têm classificação própria no OpenStreetMap, pois uma estrada europeia pode ser constituída ao longo do seu percurso por muitos tipos de estradas, como autoestradas, nacionais, regionais e municipais. Este tipo de estrada é marcado com etiquetas numa relação que contém todos os troços de estradas (ver WikiProject Europe/E-road network).

Lista de estradas: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_estradas_europeias

E 1
Vias Colectoras
highway=motorway
Autoestradas
São marcadas com esta etiqueta todas as Autoestradas nacionais.
A 3
Rendering-highway trunk L3005 MF.png highway=trunk
Vias Rápidas
São marcadas com esta etiqueta os Itinerários Principais, os Itinerários Complementares e as Vias Rápidas. Estas últimas, para que possam ser consideradas trunks, têm de estar reservadas a automóveis e motociclos (apenas vias  com o símbolo H25).

A nível urbano, incluem Vias de Penetração e Circulares Internas e Externas que configurem condições aproximadas às das autoestradas.

Convém referir que, por vezes, estas estradas são classificadas em certos troços como Autoestradas ou mesmo Estradas Nacionais, Regionais ou Municipais. Nestes casos, prevalece a classificação mais elevada.

No caso da ilha da Madeira, as Via Rápidas são Estradas Regionais principais, optando-se por utilizar a abreviação VR para as duas Via Rápidas existentes.

VCI

IC 8

IP 1

VR 1

Vias de Distribuição Principal
highway=primary
Estradas Primárias
Esta etiqueta é atribuída às Estradas Nacionais (ver nota no fim da tabela).

A nível urbano, pode incluir avenidas e eixos municipais de grande importância para escoamento urbano, com condições de segurança e de circulação elevadas. Normalmente, estes casos incluem avenidas com separadores centrais no eixo e duas vias de trânsito em cada sentido, que façam ligação a estradas de nível igual ou superior.


Na Ilha da Madeira, as denominadas Vias Expresso (atendendo que não existem estradas nacionais) estas estradas regionais pela sua importância funcional mais elevada do que as restantes Estradas Regionais, ficaram com esta etiqueta.

EN 2




VE1

highway=secondary Icone Estrada Regional.png


Icone Estrada Municipal.png

Estradas Secundárias
Esta etiqueta é atribuída às Estradas Regionais, às Estradas Nacionais Desclassificadas (ver nota no fim da tabela) ou às Estradas Municipais que estabeleçam relações importantes e registem um tráfego elevado com boas condições de segurança e circulação. No caso das estradas municipais, estas devem ter, no mínimo, duas vias de trânsito com dois sentidos, separadas por traçado no eixo da faixa de rodagem.

A nível urbano, pode incluir ruas e/ou avenidas de escoamento rápido.

ER 128

EM 541

Vias de Distribuição Local
highway=tertiary Icone Estrada Municipal.png


Estradas Terciárias
Esta etiqueta é atribuída às Estradas Municipais com pouca expressão e/ou com pouca segurança e condições de circulação (normalmente sem marcação na via ou que terminem em ruas residenciais) e aos Caminhos Municipais, desde que estes não configurem meras ruas residenciais, sem qualquer impacto em ligações entre povoações. Nos casos em que uma estrada com marcação no eixo não tenha referência, é aconselhável classificá-la como terciária, em especial se estabelecer ligação entre outras estradas de hierarquia igual ou superior. Nestes casos, vale o conhecimento local.

Em algumas zonas, há ainda os Caminhos Vicinais (designação antiga do Plano Rodoviário Nacional de 1945, que parece ter sido mantido em alguns caminhos, a julgar pelas referências de alguns existentes; esta designação foi substituída mais tarde por "Caminho Municipal").

EM 533
CM 1208
CV 1208

Vias de Acesso Local
Rendering-highway residential.png
highway=residential
Rua Residencial

Esta etiqueta é atribuída a todas as estradas urbanas e rurais que tenham nome oficial (toponímia) e que não se encontrem nas categorias supracitadas.

Atribuídas também a Caminhos Municipais que configurem meras ruas residenciais, sem impacto relevante nas ligações entre povoações.

Rua da Fonte
Rendering-highway unclassified.png
highway=unclassified Estrada Menor/Sem Classificação

Esta etiqueta é atribuída a todas as estradas urbanas e rurais sem nome oficial e que não se encontrem nas categorias de hierarquia superior.

Normalmente, são asfaltadas e fora de povoações.

Rendering-highway track.png
highway=track Estrada Florestal/Agrícola

Esta etiqueta é atribuída a todas as estradas que cruzem áreas florestais e agrícolas. Não são asfaltadas.

Rendering-highway service.png
highway=service Estrada de Serviço

Esta etiqueta é atribuída a acessos a áreas residenciais, industriais e de lazer, como por exemplo: condomínios, estações de serviço, parques de campismo, fábricas, centros comerciais, etc.

highway=living_street
Zona de Coexistência.jpg
Zona de Coexistência

Esta etiqueta é atribuída a zonas de coexistência - zonas da via pública especialmente concebidas para utilização partilhada por peões e veículos, onde vigoram regras especiais de trânsito e sinalizadas como tal.

1 - Numa zona de coexistência devem ser observadas as seguintes regras:

             a) Os utilizadores vulneráveis podem utilizar toda a largura da via pública;

             b) É permitida a realização de jogos na via pública;

             c) Os condutores não devem comprometer a segurança ou a comodidade dos demais utentes da via pública, devendo parar se necessário;

             d) Os utilizadores vulneráveis devem abster-se de atos que impeçam ou embaracem desnecessariamente o trânsito de veículos;

             e) É proibido o estacionamento, salvo nos locais onde tal for autorizado por sinalização;

             f) O condutor que saia de uma zona residencial ou de coexistência deve ceder passagem aos restantes veículos.

2 - Na regulamentação das zonas de coexistência devem observar-se as regras fundamentais de desenho urbano da via pública a aplicar nas referidas zonas, tendo por base os princípios do desenho inclusivo, considerando as necessidades dos utilizadores vulneráveis, inclusive com a definição de uma plataforma única, onde não existam separações físicas de nível entre os espaços destinados aos diferentes modos de deslocação.


Notas

Desclassificação de estradas
  • Muitas estradas nacionais foram "desclassificadas" (mais concretamente, desceram de escalão) e passaram para estradas regionais ou municipais, assim como certas estradas regionais passaram para municipais. Atualmente, as estradas regionais e municipais são da tutela dos municípios. As estradas nacionais e algumas de classificação superior são da tutela do organismo Infraestruturas de Portugal.
  • Uma estrada desclassificada nem sempre deve refletir uma descida de hierarquia no OpenStreetMap. Tudo depende do conhecimento que se tem do local e do uso que a estrada desclassificada continua a ter. Um caso paradigmático é o da EN 109, entre Leiria e a Figueira da Foz, que foi desclassificada. Apesar dessa mudança (e da construção da A17), a estrada continua a ser utilizada como sempre, com trânsito intenso, mantendo assim toda a sua importância em termos hierárquicos e para fins de roteamento. Passá-la a secundária, como a tabela hierárquica sugere, iria equivalê-la a outras secundárias vizinhas, que incluem maioritariamente Estradas Municipais, o que seria contraproducente. Assim sendo, a desclassificação de uma estrada acompanhada de uma descida de nível hierárquico deve ser bem avaliada com base no conhecimento local e na importância da via.
Referenciação de estradas
  • Caso um troço de uma estrada tenha várias referências (e por sua vez, várias classificações oficiais) prevalece a classificação mais elevada. Por exemplo, se um troço de estrada tiver as referências "A 1", "EN 2" e "IP 5", prevalece a classificação de autoestrada com a etiqueta highway=motorway e como referência ref=A 1;IP 5;EN 1.
  • Devido às alterações descritas na nota "Desclassificação de estradas", muitas estradas que desceram de escalão continuam a figurar nas placas rodoviárias. Nestes casos, deve-se usar a ref=* para a referência indicada nas placas e official_ref=* para a nova referência oficial. No OpenStreetMap, deve-se usar a classificação da estrada conforme a referência nas placas (ver regra de "mapear o que está no chão"), ou seja, por exemplo, se a Estrada Nacional 100 passou oficialmente para Estrada Regional, mas nas placas aparece como "EN 100" ou "N100", então, deve-se marcar com as etiquetas:
  • Um caso complicado é quando nas placas rodoviárias está a referência oficial atual e nos marcos quilométricos aparece a referência antiga. Por exemplo: numa hipotética estrada N 100 desclassificada para R 100, nas placas pode aparecer referida como R 100 e nos marcos N 100. Neste caso, o melhor será optar por adicionar na estrada a etiqueta ref=ER 100;EN 100 uma vez que "no terreno" aparecem ambas as referências.
  • Em outro caso um pouco semelhante, aparece nas placas rodoviárias tanto uma referência como outra, ou seja, num sinal aparece N 100, noutro R 100 e no seguinte N 100. Nestes casos, deve-se usar a mesma etiqueta com vários valores separados por ponto e vírgula: ref=EN 100;ER 100


Ferrovias

Localidades

Divisões Administrativas

Hotelaria

Uso do Solo

Pontos de Interesse

Alimentação

Saúde

Educação

Transportes

Entretenimento

Outros

Referências


OpenStreetMap tutorial de restrições de viragem no iD editor JOSM Plugin ContourMerge Adicionar Edifícios no OpenStreetMap com o JOSM e plugins